app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Política

Governo reforça segurança no sistema prisional com 255 novos policiais

Novos policiais penais passaram pelo Curso de Formação de três meses, iniciado no dia 1º de agosto

Por rayssa cavalcante | Edição do dia 08/12/2022 - Matéria atualizada em 08/12/2022 às 04h00

Nesta quinta-feira (9), 255 novos policiais penais se formarão em solenidades no Centro de Convenções, em Jaraguá, na capital alagoana. O evento marca a entrada de novos policiais penais para o exercício da profissão, contribuindo para a manutenção da ordem, disciplina e segurança pública no sistema prisional alagoano. Os policiais penais passaram pelo Curso de Formação, que iniciou em 1º de agosto. A formação durou três meses e meio, com carga horária de 520 horas. Seis turmas, com uma média de 44 alunos cada, foram formadas para otimizar o processo de formação: Alfa, Bravo, Charles, Delta, Eco e Fox. O curso ofertou pelo menos 20 matérias, como escolta e remoção, penas e prisões, armamento e tiro, defesa pessoal, direitos humanos, técnicas e tecnologia de menor potencial ofensivo, gerenciamento de crise prisional. A formação foi conduzida por 52 instrutores, sendo 80% deles policiais penais. Para o policial penal Felipe Campos, gerente da Escola de Administração Penitenciária, que participou ativamente da formação dos novos policiais, contou que a formação foi importante. “Há 15 anos não havia concurso público na área. Esses novos policiais que passam a integrar o sistema prisional de Alagoas contribuirão para uma maior efetividade no cumprimento da pena”, disse. “Quando falamos de pena, não me refiro apenas ao cárcere, mas às assistências correlatas que estão envolvidas, como assistência à saúde, religiosa, educação e todas as outras. Com um efetivo um maior fica mais viável garantir esses direitos”, complementou o gestor.

Ele ainda destacou que a formação inicial e que a formação continuada é possível agora dentro do sistema prisional por meio da Escola Penitenciária. “A missão do curso de formação foi desenvolver competências primárias para que o policial penal exerça sua função na lotação inicial. Cursos com matérias mais avançadas serão aplicados de acordo com a trilha de competência que cada um desenvolver a partir do momento que integrou o sistema prisional”, finalizou o gestor.

*com informações da assessoria.

Mais matérias
desta edição