app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Política Cerimônia de posse do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto

Petista diz que governará para todos e chora ao citar fome

Após a posse solene no Congresso Nacional, o presidente Lula e o vice, Geraldo Alckmin, acompanhados de suas respectivas esposas, fizeram o trajeto até o Palácio do Planalto do Rolls Royce da Presidência. Lula recebeu a faixa presidencial do “povo brasi

Por Agência Brasil | Edição do dia 02/01/2023 - Matéria atualizada em 02/01/2023 às 04h00

Após a posse solene no Congresso Nacional, o presidente Lula e o vice, Geraldo Alckmin, acompanhados de suas respectivas esposas, fizeram o trajeto até o Palácio do Planalto do Rolls Royce da Presidência. Lula recebeu a faixa presidencial do “povo brasileiro”, simbolizado nas figuras de uma criança, de um indígena, de um negro, de uma mulher, de um operário e de uma pessoa com deficiência. O ato ocorreu na rampa do Palácio do Planalto,. Ao discursar no parlatório do Palácio do Planalto para o povo, Lula disse que reassumiu o compromisso de cuidar dos brasileiros. Após ser empossado no Congresso horas antes, Lula disse que todas a formas de desigualdade serão combatidas durante o seu terceiro mandato. “Reassumo o compromisso de cuidar de todos, sobretudo daqueles que mais necessitam. De acabar outra vez com a fome. Temos um imenso legado, ainda vivo na memória de cada brasileiro e brasileira”, afirmou. Ao se dirigir aos apoiadores que o aguardavam na Praça dos Três Poderes, o presidente agradeceu o voto de seus eleitores, mas afirmou que vai governar para todos os brasileiros. “Vou governar para os 215 milhões de brasileiros e brasileiras, e não apenas para quem votou em mim. Vou governar para todas e todos, olhando para o nosso luminoso futuro em comum, e não pelo retrovisor de um passado”, disse.

fome

Lula se emocionou ao pedir ajuda da população para combater a fome no país. Ele citou casos de pessoas que passaram a procurar ossadas em açougues para comer e considerou “inadmissível que os 5% mais ricos detenham a mesma fatia de renda que os demais 95%”.

“Há muito tempo não víamos tamanho abandono e desalento nas ruas. Mães garimpando lixo, em busca do alimento para seus filhos. Famílias inteiras dormindo ao relento, enfrentando o frio, a chuva e o medo. Fila na porta dos açougues, em busca de ossos para aliviar a fome. E, ao mesmo tempo, filas de espera para a compra de jatinhos particulares”, questionou.

O presidente também destacou que seu governo vai combater o racismo. “Ninguém terá mais ou menos amparo do Estado, ninguém será obrigado a enfrentar mais obstáculos pela cor de sua pele. Foi para combater a desigualdade e suas sequelas que nós vencemos a eleição. Esta será a grande marca do nosso governo”, acrescentou. Após o discurso, o presidente Lula empossou os 37 ministros de seu governo.

Mais matérias
desta edição