app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Política

DELEGADA LUCIANA PAIVA ASSUMIRÁ A SUPERINTENDÊNCIA DA PF EM ALAGOAS

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, afirmou, ontem, que a corporação não irá tolerar ataques à democracia. Rodrigues deu a declaração na cerimônia que marcou o início oficial da nova gestão à frente da PF. Com a chegada do novo dire

Por ROGÉRIO COSTA | Edição do dia 11/01/2023 - Matéria atualizada em 11/01/2023 às 04h00

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, afirmou, ontem, que a corporação não irá tolerar ataques à democracia. Rodrigues deu a declaração na cerimônia que marcou o início oficial da nova gestão à frente da PF. Com a chegada do novo diretor, as superintendências nos estados também terão mudanças. Em Alagoas, o comando da PF passará a ficar nas mãos da delegada Luciana Paiva Barbosa, que já esteve à frente do órgão no estado da Paraíba.

Luciana possui graduação em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (2001) e vinha respondendo pela Delegacia de Repressão aos Crimes Previdenciários, cujas principais atribuições são o combate à sonegação e apropriação indébita previdenciárias e à repressão de fraudes na concessão de benefícios previdenciários. Ela também é professora da Academia Nacional de Polícia - ANP (Departamento de Polícia Federal). Recentemente, atuou como superintendente da PF na Paraíba.

Ela substitui a delegada Juliana de Sá, que deixa a Superintendência em Alagoas nos próximos dias, após 4 meses no cargo. Com a chegada do novo diretor-geral, a PF também já confirmou mudanças nas superintendências dos estados do Amazonas, Pará, Rondônia, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Tocantins, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Ao ser empossado no cargo, o novo diretor-geral afirmou que vai trabalhar com firmeza. “Somos a Polícia Judiciária da União, responsáveis pela apuração das infrações penais contra a ordem política brasileira. Atuaremos com muita firmeza e nos estritos termos da lei, como deve ser uma instituição de Estado. Aqueles que praticaram crimes ou se omitiram quando deveriam agir serão responsabilizados”, afirmou Rodrigues.

Mais matérias
desta edição