app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Política

SEPLAG TERÁ MISSÃO DE VALORIZAR SERVIDORES E PROMOVER CONCURSOS

Secretária Renata Santos admite que assumir a pasta é o maior desafio da vida dela

Por arnaldo ferreira | Edição do dia 14/01/2023 - Matéria atualizada em 14/01/2023 às 04h00

Depois de ocupar função estratégica na Secretaria de Estado da Fazenda, Renata Santos, uma das 14 secretárias do governo Paulo Dantas (MDB), de maioria feminina, assumiu outra função mais estratégica na máquina do Executivo estadual. A maioria das ações administrativas passa pelo crivo da nova secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio. A rotina profissional dela é de reuniões o dia inteiro e manter contato constante com o governador. “Este é o maior desafio da minha vida. A pasta tem diversas atribuições ligadas aos servidores e ao patrimônio. Trata do planejamento de médio e longo prazo e ainda tem o orçamento que tem a elaboração e execução planejada”. A missão, segundo a secretaria, é valorizar os servidores e promover concursos públicos para quase todos os setores, obedecer à realidade econômica do Estado e contribuir para que o governo cumpra os compromissos da campanha eleitoral. Renata assumiu a Seplag em 2022. Estudou cuidadosamente o planejamento montado pela gestão anterior [o atual ministro dos Transportes, Renan Filho, deu continuidade aos projetos que estavam em andamento e recebeu do governador Paulo Dantas a missão de coordenar o processo de diagnóstico da transição. “Junto com a equipe de transição, conseguimos fazer um diagnóstico para que o governador Paulo Dantas tivesse condições de adequar os projetos que estavam em andamento junto com os projetos apresentados no plano dele de governo”. Na entrevista que concedeu ao apresentador Rogério Costa, do programa Ministério do Povo da rádio Gazeta de Alagoas, que ainda não foi ao ar, a secretaria Renata Santos revelou detalhes do diagnóstico. “Identificamos na parte pessoal, por exemplo, a necessidade de promover concursos públicos para algumas carreiras que hoje estão com o quadro funcional envelhecido”.

SANGUE NOVO

De acordo com a secretária, entre os setores que precisam ser oxigenados com sangue novo profissional estão a pasta da Agricultura, além do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, entre outros. “Na Secretaria de Educação, a equipe de transição identificou que, apesar dos três mil professores que entraram nos concursos, boa parte do quadro pode requerer aposentadoria nos próximos quatro anos. Portanto, é preciso ampliar o quadro e ter reservas”.

Ela não definiu o número exato de novas contratações por setor porque depende de estudos mais aprofundados dos novos titulares das pastas. Por outro lado, o governo trabalha também com transformação funcional digital e é possível que algumas carreiras tenham ofertas de oportunidades menores. “Acredito que no segundo semestre a gente tenha um diagnóstico mais amplo, apontando quais os concursos necessários e o quantitativo de vagas”.

Ao ser questionada se no planejamento do Executivo estadual há projeto de concurso para cada pasta ou o Estado pensa em fazer um grande concurso para distribuir mão de obra às secretarias mais carentes, a secretaria respondeu que é preciso ter um planejamento global. “Quando se contrata um servidor tem que pensar na folha, do início até a aposentadoria do servidor. Acredito que o governador Paulo Dantas queira um planejamento para promover concursos, individuais, ao longo dos quatro anos da gestão dele”. O concurso mais urgente, segundo a titular da Seplag, é da Emater. “Hoje a Emater trabalha com um quadro de comissionado e bolsistas. O governador, durante a campanha de reeleição, prometeu fazer um concurso para a autarquia para preencher, pelo menos, 100 vagas. Isso está dentro do planejamento e do plano de governo de Paulo Dantas”. Sobre as condições orçamentárias para a contratação de novos servidores via concurso, Renata Santos, tranquilizou: “Tudo é feito com planejamento criterioso. Quando se anuncia o concurso ou plano de cargos e carreira é que porque há disponibilidade de recursos e previsão orçamentária”. Com relação à qualidade de vida no trabalho, a situação da previdência dos servidores, a secretária lembrou que a Seplag, na gestão anterior do ex-secretário Fabrício Marques, começou com a política de valorização pessoal com a reestruturação de carreiras e admitiu que está dando continuidade. “A gente está desenvolvendo um grande projeto junto com a Procuradoria-Geral do estado para agilizar o processo de aposentadoria do servidor. A gente sabe que há casos de demora longa para a conclusão do processo. Queremos mudar isso nos próximos quatro anos”. Com relação à qualidade de vida do servidor no ambiente de trabalho, revelou que a Seplag está mapeando a situação e anunciou inclusive a parceria com a Perícia Oficial para que tenha um núcleo de psicólogo que possa atender também os servidores, há um projeto de treinamento do RH (setor de Recursos Humanos) e também desenvolver ação para promover a qualidade de vida dentro do setor público. Com relação à política funcional da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Renata respondeu que a pasta tem um perfil técnico. “O papel da Seplag é assessorar as secretarias afins. Portanto, o quadro de servidores tem que ser composto por técnicos mesmo”, disse a secretária.

Mais matérias
desta edição