app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Política

Senador Rui Palmeira: prefeito denuncia amea�a

CRISTINA LIMEIRA O prefeito do município alagoano de Senador Rui Palmeira, Siloé de Oliveira Moura (PSB), que teve o filho assassinado no dia 22 de dezembro do ano passado por questões políticas, disse ontem que foi surpreendido na última quarta-feira co

Por | Edição do dia 22/01/2005 - Matéria atualizada em 22/01/2005 às 00h00

CRISTINA LIMEIRA O prefeito do município alagoano de Senador Rui Palmeira, Siloé de Oliveira Moura (PSB), que teve o filho assassinado no dia 22 de dezembro do ano passado por questões políticas, disse ontem que foi surpreendido na última quarta-feira com a informação de que duas pessoas armados de pistola 765 estiveram na frente da Prefeitura, fazendo ameaças de que iriam tomar à força o poder na cidade na próxima semana. Segundo o prefeito, o caso foi registrado na Delegacia Regional de Santana do Ipanema, que está investigando a denúncia. O filho do prefeito, o funcionário público Wilson Oliveira Silva, 24 anos, teria sido assassinado a mando do então prefeito do município, Mário César Vieira Vieira (PMDB) por vingança, após este perder a reeleição. Wilson foi morto com dois tiros deflagrados à queima-roupa, em um bar no centro de Senador Rui Palmeira. O assassinato teria sido praticado por José Romildo Pereira, que foi preso no dia seguinte, em Inhapi, confessou o crime e acusou como mandante Mário César, que também está preso desde o dia 7 deste mês, na sede do Tático Integrado de Grupos de Resgate Especial (Tigre). Ele nega ser o mandante do crime e pode ganhar a liberdade na próxima segunda-feira, quando se encerra o período da prisão temporária decretada pela Justiça. É a possibilidade de Mário César ser solto a qualquer momento que apavora o prefeito Siloé Moura. Segundo ele, as pessoas que teriam ameaçado tomar o poder da cidade nos próximos dias seriam um filho e um parente do ex-prefeito, “Quando meu filho foi morto, disseram que ele seria apenas um, de uma lista de pessoas que seriam eliminadas”, diz o atual prefeito, acrescentando que ele próprio estaria na relação. Siloé conta que passou a andar protegido por seguranças e não pode mais sair de casa à noite. “Perdi a paz. Se soubesse que minha vitória teria um preço tão alto, entregaria a eleição de mão beijada para meu adversário”, disse ontem. O atual prefeito foi derrotado cinco vezes antes de sair vitorioso na disputa pela Prefeitura de Senador Rui Palmeira. Hoje, o município vai parar para celebrar a missa de 30 dias pelo assassinato do filho de Siloé de Oliveira Moura. “A população pretende fazer um protesto na cidade, mas isso não devolverá minha paz de espírito”, diz Siloé, acusando o ex-prefeito pela situação por que passa.

Mais matérias
desta edição