app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Política

Lessa confirma: sai do PSB para cargo nacional no PDT

ODILON RIOS Após 20 anos de militância no PSB, o governador Ronaldo Lessa deixará o partido para ingressar no PDT. O anúncio foi feito ontem, no Palácio Floriano Peixoto, durante a visita do deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP). Segundo Lessa

Por | Edição do dia 28/01/2005 - Matéria atualizada em 28/01/2005 às 00h00

ODILON RIOS Após 20 anos de militância no PSB, o governador Ronaldo Lessa deixará o partido para ingressar no PDT. O anúncio foi feito ontem, no Palácio Floriano Peixoto, durante a visita do deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP). Segundo Lessa, a estratégia para que ele ingresse no PDT “está quase selada”. “Provavelmente ocuparei um cargo nacional no PDT”, disse. De acordo com o governador, duas lideranças nacionais do PSB sabem de sua saída do partido: o vice-presidente Roberto Amaral e o presidente de honra Jamil Hadad. A saída  de Lessa do PSB pode esvaziar o  partido em Alagoas (leia matéria abaixo). A saída de Lessa do PSB já vinha sendo cogitada desde que ele perdeu a queda-de-braço com o deputado Miguel Arraes (PE) pela presidência nacional do partido, mas ainda havia quem não acreditasse nessa possibilidade. O confronto direto com Arraes deixou o governador alagoano sem nenhum cargo considerado de destaque no PSB nacional, causando-lhe insatisfação. “Estou, sim, namorando firme com o PDT. Nele tenho mais chances de fazer política”, afirmou o governador. A entrada de Lessa no PDT seria discutida ontem à noite, em Palácio, com o vice-governador e presidente estadual do PSB, Luis Abílio, com a secretária de Saúde e ex-prefeita de Maceió, Kátia Born, com o deputado federal Jurandir Bóia, com a secretária da Célula de Articulação, Fátima Borges, com o secretário de Articulação Colegiada, Pedro Alves, e com o secretário-executivo de Educação, Maurício Quintella, o primeiro a ser enviado por Lessa para o PDT. O objetivo principal da reunião seria estabelecer a estratégia de ação após a saída do governador da sigla. Outra reunião, desta vez com a Executiva Nacional do PDT, está agendada para este final de semana. A conversa será entre o governador alagoano e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. Os dois encontros foram confirmados por Lessa. “Existe uma necessidade de se ampliar o projeto nacional do PDT e aproximá-lo do governo Lula”, destacou o governador, que se disse “preocupado” com o PSB. “Nesse momento, não quero criar desconforto no PSB. Só deixarei o partido depois que souber como ele ficará e em que condições irei para o PDT”, disse. Calado O presidente dos diretórios municipal de estadual do PDT, Geraldo Sampaio, não quis falar pessoalmente sobre a entrada de Lessa na legenda. Por meio de nota enviada com exclusividade à GAZETA, Sampaio informou que não colocaria barreiras à entrada de Lessa. “O ingresso de Ronaldo Lessa no PDT só depende dele. Da nossa parte, as portas estão abertas”, avisou o presidente, na nota. “Pela sua história, é inegável a expressiva capacidade de liderança que o governador Ronaldo Lessa poderá emprestar à Executiva Nacional do PDT”, argumentou Sampaio. No último domingo, a GAZETA publicou matéria sobre a estratégia adotada por Lessa para fortalecer o PDT, com as bênçãos de Sampaio, que se aliou a Lessa após romper com o prefeito de Maceió, Cícero Almeida (ex-PDT, hoje sem partido). Sampaio deve ser um dos primeiros a ser atingido pelo “rolo compressor”. Embora diga que “provavelmente” ocupará um cargo nacional no PDT, Lessa tem como meta principal a presidência da legenda, cargo que tentou ocupar no PSB, mas não conseguiu devido ao poder centralizador de Miguel Arraes.

Mais matérias
desta edição