app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Política

Velho Chico: OAB se mobiliza contra projeto

REGINA CARVALHO A transposição das águas do Rio São Francisco será discutida na próxima segunda-feira, às 15h, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de Alagoas. O presidente da entidade, Marcos Mello, declarou ser totalmente contra o

Por | Edição do dia 29/01/2005 - Matéria atualizada em 29/01/2005 às 00h00

REGINA CARVALHO A transposição das águas do Rio São Francisco será discutida na próxima segunda-feira, às 15h, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de Alagoas. O presidente da entidade, Marcos Mello, declarou ser totalmente contra o projeto do governo federal e disse que fará o possível para reunir o maior número de entidades contrárias à obra para participarem da manifestação no dia 2, quando será realizada audiência pública, em Maceió, para discutir o projeto. “Definiremos estratégias, que serão compartilhadas por todos que não querem a transposição”, destacou Mello. “Acredito que Alagoas ainda não tinha se organizado antes porque ninguém acreditava que esse projeto sairia, mas agora é o momento de nos organizarmos. Eu acho essa obra absurda, vai secar o nosso rio e vai transformar nosso Estado numa lixeira”, ressaltou. Para Marcos Mello, Alagoas não será beneficiada com a transposição das águas do rio, como consta no projeto defendido pelo governo. “Vão acabar de matar o rio, tirando dele uma vazão que só é atingida durante as enchentes. Precisamos cuidar do São Francisco e não prejudicá-lo ainda mais”, acrescentou o presidente da OAB/AL. O presidente da Frente Nacional Contra a Transposição do Rio São Francisco em Alagoas e vice-presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Francisco Tenório (PPS), também está participando do processo de mobilização contra o projeto. Segundo Tenório, a manifestação está marcada para as 16 horas, na praça Sinimbu, e reunirá diversas entidades que defendem a preservação do rio. “O governo está querendo apressar as obras a todo custo para atender a interesses políticos de aliados e até do mercado de fora. Temos que reagir a isso. É preciso que a população se mobilize”, destacou. Quando soube que o Estado de Minas Gerais reagiria contra a transposição, Francisco Tenório disse que “algo estava errado” nesse projeto. “Se eles que não seriam tão prejudicados eram contra, Alagoas como ficaria nessa história?”, questionou o deputado.

Mais matérias
desta edição