app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Política

K�tia Born e Ab�lio tentam evitar interven��o no PSB-AL

ODILON RIOS Quatro dias após o governador Ronaldo Lessa anunciar sua saída do PSB, o vice-governador Luis Abílio de Sousa e a secretária-executiva de Saúde e ex-prefeita de Maceió, Kátia Born, amanheceram ontem na porta da casa do ministro da Ciência e

Por | Edição do dia 01/02/2005 - Matéria atualizada em 01/02/2005 às 00h00

ODILON RIOS Quatro dias após o governador Ronaldo Lessa anunciar sua saída do PSB, o vice-governador Luis Abílio de Sousa e a secretária-executiva de Saúde e ex-prefeita de Maceió, Kátia Born, amanheceram ontem na porta da casa do ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, em Recife (PE), para falar com avô dele, o presidente nacional do partido, Miguel Arraes. O objetivo é evitar uma provável intervenção da Executiva Nacional no PSB de Alagoas por causa das estratégias adotadas pelo governador Ronaldo Lessa visando às eleições de 2006. De malas praticamente prontas, Lessa dará entrevista coletiva hoje, às 10 horas, no Palácio Floriano Peixoto, para tecer detalhes sobre sua ida para o PDT. Ele assina a ficha de filiação no PDT no dia 10 de fevereiro, em Brasília (DF), com o propósito de ocupar um cargo nacional, visando unir as esquerdas no Nordeste em apoio ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governador deve assumir uma vaga no Conselho Nacional Político do PDT, órgão que orienta a linha ideológica do partido. O encontro em Recife foi discreto e, para evitar polêmica, tanto a secretária de Saúde quanto o vice-governador voltaram ontem mesmo no final da tarde a Maceió, para acompanhar a eleição na Associação dos Municípios Alagoanos (AMA). Mesmo garantindo estar tudo  sob controle, a GAZETA apurou  ontem que o partido começa a  sofrer um processo de esvaziamento com a saída do governador (leia matéria abaixo). “Arraes ficou chateado com a saída do governador”, resumiu Kátia, adiantando que o PSB terá uma reunião da Executiva Nacional no dia 11, um dia depois de Lessa assinar sua ficha no PDT. Ela garantiu que o encontro com o presidente nacional do PSB e com o ministro da Ciência e da Tecnologia “não teve a ver” com a saída de Lessa do PSB. “Ao contrário, fomos discutir o crescimento do partido em Alagoas”, disfarçou. Na semana passada, o próprio governador assumiu que estava saindo do PSB por causa de sua relação pouco amistosa com Arraes. Para o vice-governador Luis Abílio, que assumiu o comando do PSB em Alagoas a pedido de Lessa para reorganizar o partido após as eleições, está tudo certo: “A reunião foi muito boa e acabamos comunicando a saída do governador do PSB”, contou. Tentando evitar celeuma, Abílio diz que vai conversar pessoalmente com todos os prefeitos, secretários e deputados para expor a proposta do PSB de levar o partido para um campo de alianças de centro-esquerda. Ontem, por meio de sua assessoria, o ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, afirmou que não vai haver intervenção do PSB Nacional no PSB alagoano. “Ficou decidido que o partido vai apoiar Luis Abílio e Kátia Born. Eles disseram também que continuarão no PSB”, afirmou a assessora do ministro, Vera Canfran.

Mais matérias
desta edição