app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Política

Jud� assume a vaga de Almeida na Assembl�ia

ODILON RIOS O segundo suplente Judá Nicácio (PDT) assumiu ontem a vaga do ex-deputado estadual Cícero Almeida (sem partido), na Assembléia Legislativa Estadual (ALE). Almeida venceu a eleição para a Prefeitura de Maceió ano passado e teve que renunciar a

Por | Edição do dia 02/02/2005 - Matéria atualizada em 02/02/2005 às 00h00

ODILON RIOS O segundo suplente Judá Nicácio (PDT) assumiu ontem a vaga do ex-deputado estadual Cícero Almeida (sem partido), na Assembléia Legislativa Estadual (ALE). Almeida venceu a eleição para a Prefeitura de Maceió ano passado e teve que renunciar ao mandato de deputado estadual. Com a posse, acabou o impasse entre Nicácio e a prefeita de Joaquim Gomes, Cristina Brandão (PTB), primeira suplente na disputa pelo cargo. Segundo o deputado, a prefeita teria até o dia 21 de janeiro para decidir se ficaria ou não com a vaga na ALE. “Como ela não se pronunciou até esta data, eu assumi o cargo”, disse Nicácio. Na última segunda-feira, Cristina deu uma versão diferente sobre o assunto à GAZETA. Falou que estava tentando conversar com Nicácio sobre a vaga na Assembléia. Nos bastidores, existia a informação que o deputado empossado estaria em São Paulo com sérios problemas econômicos. Para escapar da suposta crise, teria optado por ser marceneiro. “Não procede essa informação. Minha situação financeira em São Paulo sempre foi normal. Minha profissão é marceneiro, mas sempre tive uma situação financeira tranqüila”, afirmou. A posse de Nicácio ocorreu no gabinete do presidente da ALE, minutos antes de outra solenidade de posse: a da Mesa Diretora da Casa Tavares Bastos. A posse foi apenas um ato formal, já que a eleição foi realizada em agosto de 2003 e reelegeu o presidente Celso Luiz para o biênio 2005-2006. O presidente já estava no comando da ALE em 2003-2004. Na época, a eleição gerou polêmica e hoje está sendo contestada na Justiça pelo advogado Richard Manso. A reeleição só foi possível depois da aprovação de uma emenda, de autoria do deputado estadual Cícero Amélio (PMN), modificando a Constituição Estadual e o Regimento Interno da Casa. “O projeto não foi feito de maneira específica para esta Mesa; eu tinha este pensamento desde que eu fui secretário [da Mesa], em 1995”, ressaltou Amélio. “O projeto prevê que a Mesa pode ser reeleita, não que ela já estava reeleita”, explicou. Além de Celso Luiz, ocupam a Mesa Diretora: Francisco Tenório (PPS-1º vice-presidente); Gilberto Gonçalves (PP-2º vice); Luiz Pedro (PDT-3º vice); Arthur Lira (PSL-1º secretário); Cícero Ferro (PMDB-2º secretário); Gilvan Barros (PL-3º secretário); Zé Pedro (PSDB-4º secretário). No discurso de posse, Celso Luiz prometeu uma gestão mais próxima dos funcionários e a informatização da ALE até o final do mês.

Mais matérias
desta edição