app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Política

Entidades prometem barrar hoje audi�ncia p�blica sobre transposi��o do S. Francisco

REGINA CARVALHO Segmentos da sociedade civil alagoana prometem fazer uma grande manifestação, hoje, para protestar contra a realização da audiência pública para debater o Estudo de Impacto Ambiental referente ao projeto de transposição das águas do Rio S

Por | Edição do dia 02/02/2005 - Matéria atualizada em 02/02/2005 às 00h00

REGINA CARVALHO Segmentos da sociedade civil alagoana prometem fazer uma grande manifestação, hoje, para protestar contra a realização da audiência pública para debater o Estudo de Impacto Ambiental referente ao projeto de transposição das águas do Rio São Francisco. O ato está sendo conduzido pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Alagoas (OAB-AL), Ministério Público Estadual (MP), Assembléia Legislativa Estadual e organizações não-governamentais, e pode tumultuar a audiência, marcada para as 18h30, no Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), na praça Sinimbu, no Centro de Maceió. As entidades alegam que o projeto não atende os requisitos ambientais necessários para uma obra de grande porte como a que quer levar à frente o governo federal, e alertam para o impacto que a transposição irá causar a Alagoas. O presidente da OAB-AL, Marcos Mello, declarou ser “totalmente contra” o projeto do governo federal e disse que fará o possível para reunir o maior número de entidades contrárias à obra para participarem da manifestação. “Estaremos com o Ministério Público na manifestação, para evitar que a audiência pública aconteça e também que aconteça a transposição”, afirmou. Para o deputado estadual Francisco Tenório (PPS), que representa a Frente de Defesa do Rio São Francisco, a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de acelerar a realização de audiências públicas para começar as obras de transposição reflete um anseio político de aliados do seu governo. “O presidente quer começar essa obra a qualquer custo para atender a pedidos pessoais”, disse o deputado. Tenório também cobrou uma posição do governador Ronaldo Lessa (PSB). “O governador deveria entrar na luta contra a transposição das águas do São Francisco. Mas, infelizmente, ele tem se mantido em silêncio sobre o assunto”. Na opinião de Tenório, o governo alagoano deveria realizar um plebiscito e saber qual é a opinião da sociedade sobre o projeto. “Isso seria mais justo”, completou. Lessa reagiu. Ontem, durante coletiva no Palácio Floriano Peixoto, o governador disse que o presidente Lula “não é irresponsável”, e afirmou que defende a transposição aliada à revitalização. “O presidente Lula sabe o que está fazendo. Defendemos a transposição da mesma maneira que defendemos a revitalização”, disse. Também ontem, o procurador-geral de Justiça, Coaracy Fonseca, dispensou, por meio do Diário Oficial, promotores de Justiça com atuação nos municípios que compõem a Bacia do Rio São Francisco para participarem da audiência pública de hoje em Maceió. Caso não consigam impedir a realização da audiência, a OAB-AL e o Ministério Público elaboraram um documento com 56 questionamentos sobre o projeto. “Caso a audiência seja aberta, colocaremos os questionamentos. No mínimo, essa audiência será adiada”, destacou Marcos Mello.

Mais matérias
desta edição