app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Política

Assessor acusado de sonega��o se demite

Depois da divulgação de que cometeu crime de sonegação fiscal, Maurício Alves da Silva pediu demissão do cargo de presidente da Agência Estadual de Habitação e Urbanismo (Agahu), que havia assumido há apenas dez dias. A decisão foi divulgada ontem pela as

Por | Edição do dia 04/02/2005 - Matéria atualizada em 04/02/2005 às 00h00

Depois da divulgação de que cometeu crime de sonegação fiscal, Maurício Alves da Silva pediu demissão do cargo de presidente da Agência Estadual de Habitação e Urbanismo (Agahu), que havia assumido há apenas dez dias. A decisão foi divulgada ontem pela assessoria do governador Ronaldo Lessa (PSB), que anunciou para hoje a posse do substituto de Maurício Alves. Segundo o governador Ronaldo Lessa, na carta encaminhada a ele pelo ex-presidente da Agência de Habitação, Maurício Alves admitiu estar respondendo a processo a pedido da Secretaria Executiva da Fazenda, mas alegou que a ação ainda não transitou em julgado, ou seja, ainda não teria havido decisão final da Justiça, cabendo recurso por parte da defesa. Maurício Alves era sócio-diretor da Destilaria Vale do Catangy até 2001, quando a indústria teve a falência decretada pela Justiça de São José da Laje. Só a Fazenda Pública Estadual executa a Destilaria (e Maurício Alves, como co-responsável) em quatro ações: uma no valor de R$ 15,6 milhões, uma segunda de R$ 12,1 mil, uma outra de R$ 213,4 mil e uma quarta mo valor de R$ 2,2 mil. Há também execuções movidas pela Fazenda Nacional (de R$ 36,3 mil, R$ 36,4 mil e R$ 3 mil) e Ibama, no valor de R$ 5.595,52. A denúncia contra o ex-presidente da Agahu foi encaminhada ao Ministério Público Estadual pela Secretaria da Fazenda, que em um relatório administrativo, pediu a instauração de ação penal contra Maurício Alves. Depois da divulgação na notícia pela GAZETA, na semana passada, o governador disse que pediria informações à Fazenda e, se fossem confirmadas, ele iria afastar Maurício Alves do cargo. “Diante dessa situação, Maurício Alves achou, e também achamos, que não seria correto continuar no cargo, respondendo a processo por sonegação fiscal, tendo como litigante a Secretaria da Fazenda”, afirmou Lessa. Na segunda-feira passada, Maurício Alves procurou a GAZETA e negou ser sonegador de ICMS. Ele apresentou uma certidão negativa da comarca de São José da Laje, na qual foi informado que não existia nenhum processo de execução fiscal contra sua pessoa. A certidão não dizia, no entanto, que ele era co-responsável nas ações movidas contra a empresa da qual foi diretor. PL Assim como Maurício Alves, que havia sido indicado para o cargo pelo deputado federal João Caldas, do PL, o substituto dele também foi escolhido pelo Partido Liberal. Trata-se de Afrânio Manoel Vergetti de Siqueira, 34 anos, filho do ex-deputado estadual e ex-prefeito da cidade de União dos Palmares, Afrânio Vergetti, Ele será empossado hoje, às 16 horas, em Palácio, pelo próprio governador Ronaldo Lessa. Ontem à tarde, Afrânio Manoel Vergetti foi recebido em audiência pelo governador, que na oportunidade definiu logo a sua posse para hoje. Cassado O novo presidente da Agência de Habitação foi secretário municipal de Administração e Finanças na gestão de seu pai na prefeitura de União. Afrânio Vergetti. O pai foi eleito prefeito de União em 1996 e depois reeleito em 2000. Porém, o mandato foi cassado pela Justiça Eleitoral em 2002, sob a alegação de que houve corrupção eleitoral, por meio de abuso de poder econômico e político. O segundo colocado na eleição de 2000, José Pedrosa, foi empossado no cargo com o vice Kléber Marques pela Câmara Municipal de União e concluiu o mandato. Em outubro do ano passado, Pedrosa foi reeleito para o cargo. (LB)

Mais matérias
desta edição