app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Política

Come�a disputa de partidos por maior tempo no Guia Eleitoral

Definida a principal regra das eleições, que obriga os partidos a seguirem nos Estados as coligações para presidente da República, uma das maiores preocupações dos candidatos e das legendas passou a ser o Guia Eleitoral. Desde a semana passada, as chapa

Por | Edição do dia 28/04/2002 - Matéria atualizada em 28/04/2002 às 00h00

Definida a principal regra das eleições, que obriga os partidos a seguirem nos Estados as coligações para presidente da República, uma das maiores preocupações dos candidatos e das legendas passou a ser o Guia Eleitoral. Desde a semana passada, as chapas já definidas iniciaram uma caçada aos partidos sem candidato a presidente, para levar deles, em uma possível aliança, o tempo do rádio e da televisão. Um dos mais interessados em aumentar o tempo da sua propaganda gratuita é o governador Ronaldo Lessa (PSB). Sem o apoio oficial de grandes e médios partidos, como indicam as projeções, ele terá pouco mais de 2 minutos no guia eleitoral. Esse tempo é muito inferior ao que deve ser destinado, por exemplo, ao candidato do PSDB/PMDB (ainda indefinido), que deve chegar a mais de 13 minutos. Distribuição De acordo com a legislação eleitoral, um terço do horário destinado à propaganda no rádio e na TV deve ser distribuído de forma igualitária entre os partidos e coligações que tenham candidato. Os outros dois terços são distribuídos de acordo com o número de representantes que cada partido ou coligação possui na Câmara dos Deputados. Essa representação é a de 1999, quando teve início a atual legislatura. Em função dessa norma, os partidos com mais tempo para o guia eleitoral são o PFL, PSDB, PMDB, PPB, PT e PTB. Dos cinco, os únicos que não têm candidato a presidente da República são PFL e PPB, o que vem tornando as duas siglas as mais cobiçadas do momento. Durante a semana passada, ambas apontaram com a possibilidade de não apoiar candidatos ao Palácio do Planalto, o que as deixa livres para coligar com quem quiser nos Estados. Outros partidos de menor porte em Alagoas, que não têm candidato a presidente, também estão na mira das chapas majoritárias. As que mais demonstram interesse são a do governador Ronaldo Lessa (PSB) e a da frente trabalhista (PTB/PDT/PPS). Programas O deputado federal Regis Cavalcante (PPS) disse que sua coligação já tem um bom tempo no guia eleitoral (em torno de 7 minutos), mas irá atrás dos partidos que não estiverem ligados a candidaturas presidenciais. “Quanto mais tempo, melhor”, enfatizou. De acordo com o calendário eleitoral, a propaganda gratuita no rádio e na televisão será exibida no período de 20 de agosto a 3 de outubro. Na eleição para presidente da República e deputado federal, os programas serão exibidos às terças-feiras, quintas-feiras e sábados. Nas eleições para governador, deputado estadual e senador a exibição será às segundas, quartas e sextas-feiras. Nos cenários montados até o momento para a eleição de presidente da República, a distribuição do tempo no guia eleitoral se apresenta da seguinte forma: José Serra (PSDB/PMDB) fica com 19 minutos e 27 segundos; Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PCdoB) fica com 7 minutos e 56 segundos; Ciro Gomes (PPS/PTB/PDT) fica com 7 minutos e 15 segundos; e Anthony Garotinho (PSB) fica com 3 minutos e 10 segundos.

Mais matérias
desta edição