app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Política

ALE APROVA PARECER DA COMISSÃO DE FINANÇAS AO ORÇAMENTO 2024

Projeto de Lei Orçamentária estima receita bruta do Estado para 2024 em R$ 21,5 bilhões

Por Marcos Rodrigues | Edição do dia 15/11/2023 - Matéria atualizada em 15/11/2023 às 04h00

Os deputados estaduais deram mais um passo para a aprovação da Lei Orçamentária Anual 2024 encaminhada pelo governador Paulo Dantas (MDB). Na tarde de ontem, o parecer para a matéria, elaborado pela Comissão de Finanças, que teve como relator o deputado Breno Albuquerque (MDB), foi aprovado por unanimidade.

Em seu parecer, o deputado destacou a responsabilidade demonstrada pelo Executivo para utilizar o que será arrecado para a aplicação e cumprimento de suas obrigações.

“O projeto reflete uma proposta realista ajustada aos comandos da Lei 4320 e da Lei de Responsabilidade Fiscal, o que, por atender a tais princípios técnicos, reveste-se de legalidade e, portanto, voto pela aprovação do PL que fixa despesa e receita do Estado de Alagoas para o exercício de 2024 com as emendas em anexo”, descreveu o parlamentar em seu parecer.

O texto que consta com emendas dos parlamentares, agora segue para ser incluído na Ordem do Dia como prevê o regimento da ALE. Para o próximo ano, a previsão do governo para a arrecadação bruta é de R$ 21,5 bilhões, sendo R$ 19,7 bilhões na esfera fiscal e R$ 1,7 bilhão na esfera da seguridade social.

Somente quando entrar na pauta é que os deputados poderão discutir com mais detalhes o valor total e as emendas impositivas apresentadas. O valor destas corresponde ao fracionamento de 1% da receita corrente líquida.

CARRO ELÉTRICO

O projeto que promove a isenção de IPVA para proprietários de carros elétricos também foi aprovado em dois turnos por unanimidade de votos. De acordo com o projeto encaminhado pelo Poder Executivo, a iniciativa visa incentivar a aquisição e a comercialização de veículos com o uso de energia limpa.

Quando encaminhou a matéria para a Casa, o próprio Governador Paulo Dantas (MDB) destacou que incentivar a comercialização é também contribuir para a redução de gases poluentes em conformidade com todo o movimento global em defesa do meio a ambiente.

Mais matérias
desta edição