app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Política

RENAN COBRA DA BRASKEM LIBERAÇÃO DE DOCUMENTOS DE EXPLORAÇÃO

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) escreveu nas redes sociais, ontem, que a Braskem deveria liberar espontaneamente todos os documentos relacionados à exploração de minérios em Alagoas. Segundo ele, a Justiça precisa prever uma medida cautelar para que a

Por thiago gomes | Edição do dia 05/12/2023 - Matéria atualizada em 05/12/2023 às 04h00

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) escreveu nas redes sociais, ontem, que a Braskem deveria liberar espontaneamente todos os documentos relacionados à exploração de minérios em Alagoas. Segundo ele, a Justiça precisa prever uma medida cautelar para que a ação seja tomada “imediatamente”.

Renan classificou como “tragédia” a situação de possível desabamento de mina em Maceió. Declarou que a culpada pelo cenário de tensão não pode ser a “guardiã das provas que podem elucidar a responsabilidade na alta gestão sobre o que aconteceu”. Ele se manifestou em seu perfil no X (ex-Twitter).

Calheiros disse em seu perfil do X (ex-Twitter) que a empresa precisa disponibilizar de maneira espontânea os documentos referentes à “tragédia”.

“Essa entrega deve ser feita perante as autoridades do MP [Ministério Público] Federal, PF [Polícia Federal], Judiciário, na sede da empresa, para que possam salvaguardar e selecionar TUDO que é crucial para o cabal esclarecimento dos fatos”, declarou o senador.

Renan Calheiros defende a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para “averiguar com base nos documentos a responsabilidade jurídicas nas reparações”.

Leia a íntegra do que escreveu o senador:

“Eu faço um apelo à Braskem neste momento de calamidade: disponibilize de maneira espontânea TODOS os documentos referentes à tragédia de Alagoas, de TODOS os anos. Essa entrega deve ser feita perante as autoridades do MP federal, PF, Judiciário, na sede da empresa, para que possam salvaguardar e selecionar TUDO que é crucial para o cabal esclarecimento dos fatos.

Caso a Braskem não tome a iniciativa, alguma medida cautelar, no sentido de cautela, deve ser tomada imediatamente.

A culpada pela tragédia não pode ser a guardiã das provas que podem elucidar a responsabilidade na alta gestão sobre o que aconteceu.

A custódia tem de ser do Estado.

Foi por isso que propus a CPI da Braskem, uma CPI técnica e objetiva, para averiguar com base nos documentos a responsabilidade jurídica nas reparações”.

Mais matérias
desta edição