app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Política

EM MEIO A PRESSÃO DO PLANALTO, SENADO DEVE INSTALAR CPI HOJE

Todos os 11 membros já foram indicados pelos partidos; senador Omar Aziz é cotado para ser o presidente e Renan Calheiros, o relator

Por Da Redação | Edição do dia 13/12/2023 - Matéria atualizada em 13/12/2023 às 01h07

Em meio à pressão do Planalto para evitar a CPI da Braskem, numa tentativa clara de preservar a Petrobrás, segunda maior acionista da multinacional, a instalação do colegiado deve ocorrer hoje, às 9h, no plenário 7 do Senado Federal. Essa é a previsão do senador Renan Calheiros (MDB), cotado para ser o relator da comissão. Omar Aziz (PSD-AM) deve ser escolhido como presidente.

Aguardada para ser instalada ontem, a CPI foi adiada após intensa pressão do governo em meio à tragédia ambiental provocada após o colapso da mina 18, no bairro do Mutange.

Ao longo dessa terça-feira (12), líderes partidários e senadores indicados para a CPI tiveram uma série de conversas com interlocutores do Planalto. Pressionados, os parlamentares governistas cederam e atenderam ao pedido de Renan para instalar o colegiado já nesta quarta-feira (13), com a indicação inclusive de um plano de trabalho e a aprovação das primeiras diligências.

Todos os membros do colegiado foram indicados. São 11 titulares e sete suplentes. A comissão terá até 180 dias para o funcionamento na Casa. Após a instalação, os trabalhos devem começar em fevereiro, ao fim do recesso parlamentar.

ADIAMENTO

Até o fim da semana passada, Renan, como o integrante mais velho da CPI, tinha a prerrogativa para definir a data de instalação, conforme regimento do Senado. Ele havia marcado para ontem. No entanto, um dos representantes do PSD é o líder do partido, Otto Alencar. Como mais antigo, ele decidiu atender ao pedido do governo e desmarcar a convocação que estava prevista para ontem.

Diante dos cenários e a tentativa de sepultar a CPI, Renan defendeu o funcionamento do colegiado.

“A Comissão Parlamentar de Inquérito da Braskem pressupõe uma investigação técnica imparcial e não pode ir além ou aquém do que está descrito no fato determinado. Não é uma CPI contra ninguém, apenas a favor de Alagoas e das vítimas da Braskem”, disse Renan Calheiros à Gazeta.

Mais matérias
desta edição