app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Política

FHC defende casamento gay

Brasília – Após sete anos no poder, o presidente Fernando Henrique Cardoso demonstrou ontem seu censo de oportunismo, num ano eleitoral, ao defender o casamento entre homossexuais, que faz parte da proposta do governo para implantação da segunda edição do

Por | Edição do dia 14/05/2002 - Matéria atualizada em 14/05/2002 às 00h00

Brasília – Após sete anos no poder, o presidente Fernando Henrique Cardoso demonstrou ontem seu censo de oportunismo, num ano eleitoral, ao defender o casamento entre homossexuais, que faz parte da proposta do governo para implantação da segunda edição do PNDH (Programa Nacional dos Direitos Humanos), um conjunto de medidas, cujo objetivo é atender minorias e impedir que, por discriminação,  brasileiros sejam prejudicados na hora de arrumar emprego, comprar um bem  imóvel ou mesmo freqüentar um local público. Ao todo, 518 metas fazem parte do programa. As medidas foram sugeridas por membros dos Poderes. Parte delas, como a união civil entre homossexuais, é de autoria do Legislativo (a união gay é um projeto da hoje prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, quando era deputada federal). Em discurso, FHC deixou claro que o verdadeiro responsável pela implantação do PNDH será seu sucessor. “As ações aqui anunciadas (...) não podem se esgotar em um único mandato”, afirmou FHC. Metas Entre as principais metas do programa destacadas por FHC estão: 1) a criação do Conselho Nacional dos Idosos; 2) a união civil entre pessoas do mesmo sexo; 3) a criação do Conselho Nacional de Promoção do Direito à Alimentação; 4) a sanção da lei que determina o afastamento do lar de qualquer causador de agressão; 5) a extensão a todos os órgãos do governo das portarias dos ministérios da Justiça e do Desenvolvimento Agrário, estabelecendo cotas para a contratação de negros, mulheres e deficientes para o serviço público. FHC ressaltou apoiar o projeto de lei que tramita no Congresso Nacional, que permite a união civil entre pessoas do mesmo sexo. O presidente chegou a posar para fotos segurando uma bandeira com o símbolo do movimento em defesa dos homossexuais, um arco-íris.

Mais matérias
desta edição