app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

Datafolha: Serra, Garotinho e Ciro empatam no 2� lugar

São Paulo – Pesquisa Datafolha realizada ontem mostra que o pré-candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, subiu 11 pontos percentuais nas intenções de voto. Em pesquisa anterior, realizada dia 9 de abril, Lula tinha 32%. Passa agora para 43%. É o maior

Por | Edição do dia 15/05/2002 - Matéria atualizada em 15/05/2002 às 00h00

São Paulo – Pesquisa Datafolha realizada ontem mostra que o pré-candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, subiu 11 pontos percentuais nas intenções de voto. Em pesquisa anterior, realizada dia 9 de abril, Lula tinha 32%. Passa agora para 43%. É o maior percentual obtido pelo petista desde o início das pesquisas para as eleições deste ano, que estão sendo feitas desde o ano passado. José Serra (PSDB), que tinha 22% em abril, caiu cinco pontos e está agora com 17%. O candidato tucano está empatado tecnicamente com Anthony Garotinho, PSB (que tinha 16% e agora tem 15%) e com Ciro Gomes (PPS), que passou de 13% para 14%. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Enéas Carneiro, do Prona, continua com os mesmos 2% registrados na pesquisa anterior. Caiu também o percentual dos eleitores que dizem que vão votar branco ou nulo ou que estão indefinidos. Em abril, 8% diziam que pretendiam votar branco ou nulo. O percentual caiu agora para 5%. Os indecisos oscilaram de 6% para 4%. Essa pesquisa mostra também a maior diferença entre Lula e um segundo colocado, que agora atinge 26 pontos. Denúncia Essa é a primeira pesquisa eleitoral do Datafolha desde que foram divulgadas na semana passada denúncias sobre suposta tentativa de cobrança de propina durante o processo de privatização da Vale do Rio Doce, realizado em maio de 1997. O responsável pela arrecadação de fundos de campanha do atual presidenciável tucano, José Serra, o empresário Ricardo Sérgio de Oliveira, diretor do Banco do Brasil à época da privatização, é apontado como o suposto autor da cobrança de R$ 15 milhões – ou US$ 15 milhões, conforme a versão – para organizar o consórcio vencedor do leilão.

Mais matérias
desta edição