app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5691
Política

Quebrangulo homenageia Fernando Collor

MARCOS RODRIGUES Repórter Quebrangulo - O ex-presidente Fernando Collor de Mello foi homenageado, na manhã do sábado passado, com o título de Cidadão Honorário do município de Quebrangulo, a 160km de Maceió. Além dele, foram homenageados o vice-presid

Por | Edição do dia 13/12/2005 - Matéria atualizada em 13/12/2005 às 00h00

MARCOS RODRIGUES Repórter Quebrangulo - O ex-presidente Fernando Collor de Mello foi homenageado, na manhã do sábado passado, com o título de Cidadão Honorário do município de Quebrangulo, a 160km de Maceió. Além dele, foram homenageados o vice-presidente do Instituto Arnon de Mello, Carlos Mendonça, e o presidente do PRTB, advogado Eraldo Firmino. Diversas autoridades estiveram na Câmara, que ficou lotada. Entre os presentes estava o promotor de Justiça de Capela, Edelzito Andrade. A população da cidade acompanhou as homenagens. Collor compareceu ao evento ao lado de sua esposa, a arquiteta Caroline Medeiros, e do filho Fernando James Collor de Mello, vereador pelo municípío de Rio Largo. O título foi proposto pelo vereador Elias Felino Tenório Cavalcante (PSDB), pelos relevantes serviços prestados ao País, durante sua passagem pela Presidência da República. “Cresci ouvindo meu pai falar do senador Arnon de Mello. Além disso, não esqueço que foi o senhor quem concedeu aumento aos aposentados do campo”, disse o vereador Elias Felino em seu discurso, referindo-se a Collor. Carlos Mendonça disse que o título de cidadão de Quebrangulo foi uma honra. “Sinto-me honrado por ter recebido esse título, e mais ainda com o presidente Collor”, disse ele, ressaltando sua ligação familiar com o município. “Eu me sinto feliz ao ver o presidente Collor ser reconhecido por suas decisões em favor de Quebrangulo, especialmente quando tornou a Serra da Pedra Talhada patrimônio público preservado e apto a receber recursos externos para sua manutenção”, acrescentou. O prefeito de Quebrangulo, Marcelo Lima (PDT), relembrou que, como presidente, Collor liberou recursos que garantiram a preservação de 2,7 hectares de mata atlântica na região. O presidente do PRTB, Eraldo Firmino, enfatizou que diante da administração do PT, “o País deve desculpas ao ex-presidente Collor”. Ele não escondeu o desejo de ver o ex-presidente de volta à cena política. “Ao ver o Brasil vermelho de hoje, o País sente falta do verde e amarelo”, disse. Em seu discurso, Fernando Collor voltou a dizer que não pretende disputar nenhum cargo na eleição de 2006. Não dirigiu críticas diretas à gestão do presidente Lula. Ao invés disso, convocou os eleitores a valorizarem o voto e a refazerem suas esperanças. “O voto é um exercício de cidadania. É preciso diferenciar quem quer fazer o bem dos que querem se locupletar. Continuo tendo fé em Alagoas e em nosso País”, afirmou Collor.

Mais matérias
desta edição