app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Política

Ju�za cassa prefeito de Delmiro Gouveia

| MAIKEL MARQUES Repórter A juíza Raquel David Torres de Oliveira, da 40ª Zona Eleitoral, acolheu parecer do Ministério Público (MP) com base em denúncia de abuso de poder econômico e político formulada pelos candidatos Marcos Antônio Silva e Adeilton M

Por | Edição do dia 04/01/2006 - Matéria atualizada em 04/01/2006 às 00h00

| MAIKEL MARQUES Repórter A juíza Raquel David Torres de Oliveira, da 40ª Zona Eleitoral, acolheu parecer do Ministério Público (MP) com base em denúncia de abuso de poder econômico e político formulada pelos candidatos Marcos Antônio Silva e Adeilton Mafra – derrotados na eleição de 2004 – e cassou, ontem à tarde, o mandato do prefeito de Delmiro Gouveia, Marcelo Lima (PDT), e de seu vice José Ferreira de Oliveira, o Cazuza (PSB). Os dois foram surpreendidos pela decisão quando faziam reunião com assessores. Marcos Antônio Silva, segundo colocado na eleição para prefeito de Delmiro em 2004, é sobrinho do ex-prefeito Luiz Carlos Costa, o Lula Cabeleira, e primo da deputada estadual Ziane Costa. Marcos e Adeilton Mafra foram empossados ontem mesmo, por ordem da juíza, como prefeito e vice do município. A decisão da juíza acolheu denúncias de suposta compra de votos por parte do prefeito afastado. Marcelo Lima teria praticado abuso de poder econômico ao fazer propaganda eleitoral no dia da eleição por meio das Rádios Delmiro AM e FM, do Grupo Carlos Lyra e onde ele trabalhava antes de se candidatar. Segundo colocado na disputa eleitoral de 2004, “Marcos Costa” – como é chamado o novo prefeito – tomou posse em concorrida sessão extraordinária da Câmara de Vereadores. Diante do tio e mentor político Lula Cabeleira, ele fez críticas ao grupo de Marcelo Lima. Até o advogado do novo prefeito, Adriano Soares, discursou na Câmara: “Que você, Marcos Costa, cumpra as promessas de Lula Cabeleira”. Ao chegar à prefeitura, o cortejo que acompanhava o novo prefeito encontrou as portas fechadas. Ninguém sabia onde estavam as chaves. Alguém pulou uma janela e abriu a porta. A porta do gabinete também estava trancada, e foi aberta por um chaveiro. Marcos Costa prometeu uma auditoria nas contas. E anunciou quatro secretários: José Clênio Sandes (Administração), Rizalvo Monteiro (Educação), José Rodrigues (Transportes) e Márcia Ferreira (Finanças) – todos da equipe do ex-prefeito e seu tio Lula Cabeleira. ### Prefeito afastado recorre ao TRE para recuperar mandato PETRÔNIO VIANA Repórter O vereador Edvaldo Nascimento (PCdoB), que formava a base de sustentação do prefeito afastado de Delmiro Gouveia, Marcelo Lima (PDT), na Câmara Municipal, criticou a decisão da juíza da 40ª Zona Eleitoral, Raquel Torres de Oliveira, de afastar o prefeito e empossar o segundo colocado na eleição de 2004, Marcos Costa (PMDB). Na avaliação do vereador, que teve acesso à decisão judicial, a ação é “totalmente inconsistente”. Nascimento lembrou que uma outra ação, impetrada pelo prefeito afastado contra a chapa derrotada, está “enterrada” na Justiça Eleitoral. “Um padre chegou a ser preso distribuindo cestas básicas e santinhos da outra chapa e a Justiça ainda não se pronunciou”, criticou. Nascimento reclamou também da atitude da juíza, que se deslocou até o município para proferir a sentença. “Ela veio exclusivamente ao município, no meio do recesso do Judiciário, só para divulgar essa decisão”, afirmou. O telefone celular de Marcelo Lima esteve desligado durante todo o dia de ontem porque, de acordo com Nascimento, o ex-prefeito estava reunido com seus advogados para definir as medidas que deverá adotar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O vereador informou que, segundo os advogados, é uma questão de dias para que a decisão seja revertida. “Os advogados disseram que essa decisão pode ser revertida em três ou quatro dias”, comentou Nascimento.

Mais matérias
desta edição