app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Política

Delmiro: disputa em cen�rio de guerra

| MAIKEL MARQUES Repórter Delmiro Gouveia - Delmiro Gouveia, distante 285 quilômetros da capital, é referência no Alto Sertão por diversas razões. É cidade-pólo de uma região onde muita gente vive em função da Bahia e também é cenário de muita conturbaç

Por | Edição do dia 12/02/2006 - Matéria atualizada em 12/02/2006 às 00h00

| MAIKEL MARQUES Repórter Delmiro Gouveia - Delmiro Gouveia, distante 285 quilômetros da capital, é referência no Alto Sertão por diversas razões. É cidade-pólo de uma região onde muita gente vive em função da Bahia e também é cenário de muita conturbação política quando se discute o comando das finanças municipais. Quando o assunto é a disputa pelos cargos de deputado estadual ou federal na eleição deste ano, vereadores e demais lideranças se dividem para “trabalhar” em defesa de candidatos vindos de diversos pontos do Estado e que estão de olho no poder de fogo dos 30,7 mil eleitores do município. Pouco mais da metade desse contingente eleitoral optou, na eleição de 2004, pelo grupo político de oposição e conferiu vitória nas urnas ao radialista Marcelo Lima (PDT), que disputou o cargo com apoio do governador Ronaldo Lessa e da Fábrica da Pedra, empresa do Grupo Carlos Lyra. Um ano depois de desbancar o prefeito e empresário Luiz Carlos Costa, o “Lula Cabeleira”, palmeirense Marcelo Lima já se prepara para retribuir a ajuda de 2004. “Sou Maurício Quintella (PDT) para deputado federal e devo apoiar Cáthia Freitas (PMN) para deputada estadual”, afirmou. Uma década depois de desembarcar em Delmiro e adquirir notoriedade diante do microfone utilizado pela Rádio Delmiro AM para questionar as ações de seu antecessor, Marcelo não tem definição quanto ao cargo de governador. “Dependemos dos rumos de Renan Calheiros”, explica. Depois de deixar o PMDB e migrar para o Prona do ex-governador Divaldo Suruagy, o ex-prefeito Luiz Carlos Costa também briga para conquistar votos na cidade que governou por oito anos. Ele conta com apoio da filha e deputada estadual Ziane Costa. Um dos dois deve disputar o cargo de deputado (estadual ou federal). “O grupo da Ziane Costa está forte e unido. Somos cinco vereadores”, observa Valdo Sandes, vereador de oposição e crítico ferrenho da gestão do prefeito Marcelo Lima. Os nove vereadores são exemplo de como deve ser a divisão do curral de votos no município. Dos seis oposicionistas, cinco dizem seguir os passos da deputada Ziane Costa. O sexto oposicionista, Geraldo Xavier (eleito no grupo de Marcelo Lima), diz votar na pré-candidata Cáthia Freitas. O presidente do Legislativo, Carlos Alberto “Cacau” Correia, é o líder do Distrito de Barragem Leste, principal reduto eleitoral na zona rural. Aliado de Lula Cabeleira e de Ziane Costa, Cacau agora se diz independente de quaisquer grupos políticos da cidade. Embora ainda ostente pendurada na parede de seu gabinete a foto em que discursa ao lado de Ziane e Cabeleira, o vereador avisa: “Preciso conquistar o meu espaço”. Acadêmico de direito numa faculdade em Arapiraca, ele avisa: “Defendo agora o regimento do Legislativo Municipal”. Os dois vereadores governistas - Edvaldo Nascimento (PCdoB) e Fernando Aldo Brandão (PV) - também estão divididos quando o assunto são os cargos de deputado. Mas concordam num ponto: fazem oposição sistemática contra o grupo do ex-prefeito Lula Cabeleira. Destino do padre Outra figura de expressão na política de Delmiro Gouveia é o padre Eraldo Cordeiro (PSB). Ferrenho opositor da “prática coronelista de governar”, o religioso que conseguiu “sem gastar tostão ou milhão” 17.800 votos na eleição de 2002 já deflagrou sua pré-campanha para se reeleger deputado. “Já retomei meus contatos por todo o sertão”, avisa Eraldo Cordeiro, que diz ter ajudado a eleger Marcelo Lima. Quando falou à Gazeta por telefone, na última quinta-feira, o religioso palestrava “sobre fé e política” em Água Branca. Questionado sobre o porquê de não mais apoiar o prefeito Marcelo Lima, o padre primeiro desconversou para em seguida arrematar. “Política no Sertão é recheada de traições e interesses particulares. Não quero saber de brigas. Assisto agora de camarote”. Ele assumiu o mandato de deputado estadual por três meses. De volta à condição de suplente, começou a peregrinação pelos currais eleitorais onde conseguiu votos em 2002. Seu mais forte aliado na conquista do mandato é a Rádio Delmiro AM, que transmite a “santa missa” aos domingos.

Mais matérias
desta edição