app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Política

Governistas d�o prazo final para Renan

| ODILON RIOS Repórter O clima de indefinição em torno da candidatura ou não do presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB) ao governo, vem incomodando membros da tropa de choque do governo Ronaldo Lessa (PDT), que já fecharam um pr

Por | Edição do dia 21/02/2006 - Matéria atualizada em 21/02/2006 às 00h00

| ODILON RIOS Repórter O clima de indefinição em torno da candidatura ou não do presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB) ao governo, vem incomodando membros da tropa de choque do governo Ronaldo Lessa (PDT), que já fecharam um prazo, segundo integrantes governistas, para a definição do senador: até o final do carnaval. Depois disso, o número dois na lista é o governador em exercício, Luis Abílio (PDT). DIFÍCIL ALIANÇA Um dos membros da tropa de choque palaciana, Welinson Miranda, disse ontem que Abílio é o nome mais discutido para assumir a vaga de Renan, caso ele não aceite ser candidato. O plano “B” governista tenta até fechar difíceis alianças. Miranda chegou a ventilar uma composição entre Abílio e a ex-prefeita de Arapiraca, Célia Rocha (PSDB), que não faz parte do grupo palaciano, mais ligada ao grupo político do correligionário senador Teotônio Vilela Filho. Célia não decidiu ainda, mas tem convites para disputar o Senado e a Câmara dos Deputados pelos tucanos. “Ou podemos ter nomes do PMDB como o José Wanderley ou José Costa”, assinalou Miranda, que descartou a senadora Heloísa Helena (P-Sol) disputando o governo alagoano. José Wanderley, médico cardiologista, disputou o primeiro turno das eleições na capital em 2004; José Costa, advogado, é um dos membros mais antigos do PMDB alagoano. Ao contrário do que foi divulgado durante a semana passada, não houve, no sábado, 18, o encontro entre Renan e Lessa para voltar a discutir uma chapa ao governo. Renan não esteve também na coletiva de Anthony Garotinho (PMDB), no mesmo sábado, quando o ex-governador do Rio de Janeiro lançou sua pré-candidatura à Presidência em Maceió. No domingo, Renan se reuniu com o ex-governador Geraldo Sampaio. ### Pré-candidato Lyra entra com representação contra Lessa Já o grupo político ligado ao pré-candidato ao governo alagoano, deputado federal João Lyra (PTB), entrou ontem com a primeira representação de propaganda eleitoral fora de época movida contra o governo do Estado. Há três semanas, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) arquivou ação semelhante, só que movida pelo PDT contra Lyra. Ontem, o deputado reuniu assessores no grupo João Lyra. Ao telefone, enquanto sua assessoria conversava com a reportagem, Lyra perguntava insistentemente, em outra ligação, “e aí, alguma novidade?”. Apesar de não adiantar respostas sobre as “novidades” que circulam nos corredores do seu escritório, em Guaxuma, quartel-general da pré-candidatura do deputado, Lyra vai estar hoje em Arapiraca, durante inauguração da pedra fundamental da Ufal, com o presidente Lula. O membro da tropa de choque de Lyra, Arnaldo Cansanção, não assumiu que o deputado esteja em campanha ao governo, mas disse que o parlamentar participa de muitas festas, desde comemorações de padroeiras de cidades interioranas até formaturas de alunos do ensino superior. “Ninguém tem pedido ajuda financeira não. Nem patrocínio”, garante. No grupo João Lyra, até mapa indica a direção que o deputado tomou e deverá tomar nos próximos dias. De janeiro para cá, já percorreu 20 municípios. “Visitamos correligionários, andamos pelos diretórios, prestigiamos lideranças. Não estamos em campanha”, adiantou Cansanção. “Sendo ou não candidato, para a gente não influi. O doutor João Lyra é pré-candidato em qualquer condição e vai disputar as convenções do partido, marcadas para junho”, completou Cansanção. |OR

Mais matérias
desta edição