app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Política

PF refor�a a��es em AL contra crime organizado

Os juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado (NCCO) tiveram ontem uma reunião com a equipe da delegacia de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, chefiada pelo delegado Joacir Avelino. No encontro, os juízes pediram um reforço maior nas açõ

Por | Edição do dia 25/03/2006 - Matéria atualizada em 25/03/2006 às 00h00

Os juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado (NCCO) tiveram ontem uma reunião com a equipe da delegacia de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, chefiada pelo delegado Joacir Avelino. No encontro, os juízes pediram um reforço maior nas ações da PF, trocaram informações e, no final da reunião, repassaram novos mandados de busca e apreensão e de prisões de acusados de envolvimento em ações criminosas. ENVOLVIDOS O delegado Joacir Avelino e os juízes do NCCO evitaram revelar detalhes das ações que serão implementadas a partir de hoje, mas deixaram claro que novas prisões serão realizadas em um curto espaço de tempo. Ontem, uma informação sobre suposto envolvimento de um juiz com a quadrilha liderada pelo vereador Júnior Pagão, que está foragido desde o dia 4 de janeiro, surpreendeu os magistrados do NCCO. O nome do juiz foi repassado a dois promotores e a um delegado da Polícia Civil, mas as investigações sobre a possível participação do magistrado em ações do crime organizado só vão ocorrer com a autorização do Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas, que se reúne na próxima terça-feira. Pelas informações repassadas aos juízes do NCCO, o magistrado usaria sua influência para beneficiar os integrantes da quadrilha. Reforço contra o crime O delegado Joacir Avelino disse que a Polícia Federal vai “ajudar no que for possível” as ações dos juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado. Avelino acrescentou que o trabalho de combate ao crime organizado vai ganhar o reforço dos policiais federais que foram deslocados para a segurança do traficante Fernandinho Beira-Mar (leia mais na página A16), que foi transferido ontem para a sede da Polícia Federal em Brasília. Apoio possível “Nós vamos oferecer todo o apoio necessário aos juízes do Núcleo do Combate ao Crime Organizado. Não deixamos de auxiliar e, agora, poderemos oferecer um apoio maior, já que o nosso pessoal que estava deslocado para a segurança do Fernandinho Beira-Mar vai poder ser utilizado no trabalho de combate ao crime organizado”, disse Avelino. A Gazeta apurou que, entre os mandados de prisão expedidos pelos juízes do NCCO, estaria os de policiais civis e militares acusados de envolvimento em crimes no Estado. O NCCO definiu as ações que serão implantadas para desarquivar uma série de inquéritos que estão parados em várias comarcas do Estado. Em uma delas, os juízes devem cobrar a apuração de 26 inquéritos que estariam engavetados, desde o afastamento do delegado Marcílio Barenco. Antes de Rio Largo, Barenco atuou nos municípios de Santana do Mundaú, Teotônio Vilela e Coruripe.

Mais matérias
desta edição