app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Política

PT e PV continuam no governo Ab�lio

| ODILON RIOS Repórter Depois do PC do B anunciar a entrega de todos os cargos de primeiro escalão ao governo estadual, o PT e o PV continuam participando da administração do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), já que continuam com o atual Abílio de Sous

Por | Edição do dia 19/04/2006 - Matéria atualizada em 19/04/2006 às 00h00

| ODILON RIOS Repórter Depois do PC do B anunciar a entrega de todos os cargos de primeiro escalão ao governo estadual, o PT e o PV continuam participando da administração do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), já que continuam com o atual Abílio de Sousa Neto. Ambos têm importantes cargos na gestão e devem decidir seu futuro ainda esta semana. A chamada “terceira via”, que reúne PC do B, PT e PV, tem que decidir rapidamente. Já está prevista uma reunião decisiva do PT, na pauta: entregar ou não os cargos ao governo. A sigla tem duas secretarias (Direitos Humanos e Trabalho e Renda) e ainda, na administração indireta, a Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de Alagoas (Fapeal). Em cima do muro Mesmo tendo lançado até candidato próprio, e com o ultimato dado pelo governador Luis Abílio para a retirada de quem não ficar com Téo Vilela (PSDB), aliado do governo, o PT parece ainda em cima do muro. A própria candidata escolhida, Lenilda Lima, sinaliza para isto. De acordo com ela, a escolha sobre o futuro do PT dentro ou fora do governo Abílio será definida esta semana. “O PT quer ter uma conversa com o governador, nada de declarações na imprensa”. Enquanto ainda não sabe que rumo o partido vai tomar quanto à aliança com os governistas, o PT também se preocupa com a “construção da terceira via”. “Não vamos ficar brigando entre nós (PT, PV e PC do B)”, completou Lenilda. Perguntada se aceitaria ser vice em uma composição com o ex-secretário de Cultura, Eduardo Bomfim (PC do B), Lenilda disse que “isso não está sendo discutido”. “O PC do B apontou uma candidatura, o PT também. Vamos discutir uma alternativa em conjunto”. ///

Mais matérias
desta edição