app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Política

Paul�o: investiga��o n�o provou nada

| PETRÔNIO VIANA Repórter O deputado estadual Paulo Fernando dos Santos, o Paulão (PT), voltou a apresentar os resultados das investigações em torno do recebimento, em 2002, pelo PT estadual, de R$ 160 mil repassados pela empresa de agência de publicida

Por | Edição do dia 19/04/2006 - Matéria atualizada em 19/04/2006 às 00h00

| PETRÔNIO VIANA Repórter O deputado estadual Paulo Fernando dos Santos, o Paulão (PT), voltou a apresentar os resultados das investigações em torno do recebimento, em 2002, pelo PT estadual, de R$ 160 mil repassados pela empresa de agência de publicidade do empresário Marcos Valério de Sousa, dentro do esquema que ficou nacionalmente conhecido como “valerioduto”. O deputado havia se referido ao assunto na semana passada, durante o lançamento da pré-candidatura de Lenilda Lima para o governo do Estado. Desta vez, Paulão usou a tribuna da Assembléia Legislativa do Estado (ALE), na sessão de ontem, para explicar que nada foi constatado pela Receita Federal em sua movimentação financeira no período de 2001 a 2004. O dinheiro foi enviado supostamente para quitar dívidas da campanha do vereador Judson Cabral (PT) ao governo do Estado em 2002. De acordo com Paulão, todas as pessoas citadas durante as investigações do “valerioduto” tiveram que ser investigadas pela Receita Federal. “Fui notificado pela CPI do Mensalão no ano passado e enviei os esclarecimentos por escrito. Nada foi contestado. Tive minha vida devassada pela Receita Federal, que não encontrou nada”, observou Paulão, que leu o documento enviado pela Receita comunicando o resultado da devassa. A metade do dinheiro recebido pelo PT alagoano serviu para pagar a agência de publicidade que elaborou a campanha para o governo estadual em 2002. ///

Mais matérias
desta edição