app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

T�o vai pedir a Lula verba para projetos

| ODILON RIOS Repórter O governador eleito Teotonio Vilela Filho (PSDB) já tem na ponta do lápis a pauta do encontro com o presidente da República reeleito, Luiz Inácio Lula da Silva, que deve convocar ainda esta semana uma reunião com os 27 novos gover

Por | Edição do dia 07/11/2006 - Matéria atualizada em 07/11/2006 às 00h00

| ODILON RIOS Repórter O governador eleito Teotonio Vilela Filho (PSDB) já tem na ponta do lápis a pauta do encontro com o presidente da República reeleito, Luiz Inácio Lula da Silva, que deve convocar ainda esta semana uma reunião com os 27 novos governadores tanto da oposição - como é o caso do tucano Teotonio - como os aliados. Segundo adiantou ontem o governador em entrevista a Gazeta, além da repactuação da dívida pública, o novo governador leva seu plano de governo com ações em quatro eixos estruturantes (turismo, educação, indústria e agricultura familiar), que precisarão de uma boa contrapartida do governo federal. ### Plano para enxugar a máquina sob segredo Ainda de acordo com o governador eleito, com a redução do número de secretarias não está descartada a diminuição dos cargos comissionados ou ainda o remanejamento dos servidores. “Estamos estudando cada detalhe”, ressaltou. A divulgação dos nomes dos secretários e da nova estrutura administrativa, que pretende diminuir as atuais 46 secretarias para 15 ou 20 no futuro governo, só sairá em 31 de dezembro, como adiantou o governador Teotonio Vilela Filho. Segundo ele, não existe demora nas definições. ### Escolha de secretários fica sob mistério até dezembro O futuro governo não tem ainda um mapa traçado de quantos cargos ficarão com os partidos aliados, como PMDB e PDT, mas quem participou da camapanha fará indicações na futura composição, foi o que adiantou o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB). Na lista, incluiu o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) e a ex-prefeita da capital, Kátia Born (PSB). Lessa foi candidato ao Senado e perdeu a disputa; Born tentou a Câmara Federal e não conseguiu a vaga. ///

Mais matérias
desta edição