app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Política

Alunos do Escola 10 poderão acumular benefício do Programa ‘Pé de Meia

Medida foi criada com base na ideia alagoana que contempla estudantes regularmente matriculados

Por thiago gomes | Edição do dia 19/01/2024 - Matéria atualizada em 19/01/2024 às 04h00

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) garantiu que os estudantes que já recebem auxílio do Cartão Escola 10 não serão impedidos de acumular o benefício do programa ‘Pé de Meia’, recém-lançado pelo governo federal, e que prevê o pagamento de bolsa de permanência para alunos do ensino médio da rede pública de ensino.

A medida federal foi criada com base na ideia alagoana, instituída no governo Paulo Dantas (MDB), e que contempla estudantes da rede que estão regularmente matriculados. Aqui, são pagas duas bolsas: a permanência, que bonifica, mensalmente, com R$ 100 (escolas regulares) e R$ 150 (escolas de ensino integral) os alunos com frequência escolar superior a 90%; e bolsa conclusão, que contempla estudantes que concluíram o ensino médio, com R$ 2.000 cada.

Para os estudantes da Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJAI), o repasse é de R$ 100 (bolsa permanência). Quanto à bolsa conclusão, o valor é o mesmo: R$ 2 mil.

Por enquanto, a Seduc não estimou a quantidade de beneficiários em Alagoas do novo programa federal. O órgão informou que ainda não tem como concluir o levantamento porque está em fase de confirmação das matrículas para o ano letivo de 2024. Quando esta etapa for concluída, será feito o cruzamento de informações sociais dos estudantes junto à Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), a quem compete a gestão dos serviços do CadÚnico, uma das exigências do governo federal para concessão.

“É muito gratificante saber que o governo federal se inspirou em nossa iniciativa, o Cartão Escola 10, ao criar um programa semelhante para combater a evasão escolar em todo o país, auxiliando aquele estudante que, por inúmeras razões, não consegue frequentar a sala de aula, principalmente quando esse jovem precisa trabalhar para complementar a renda da família”, destacou a secretária de Educação de Alagoas, Roseane Vasconcelos.

A proposta ganhou o apelido de ‘Pé de Meia’ porque os valores serão repassados periodicamente em poupanças abertas em nome dos alunos. Os estudantes poderão sacar parte do dinheiro durante o ano, mas outra parte só poderá ser acessada depois da conclusão desta etapa do ensino.

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que o programa beneficiará cerca de 2,5 milhões de estudantes e custará por volta de R$ 7 bilhões em 2024. O valor citado é suficiente para destinar R$ 2.800 para cada beneficiado. Não há detalhes, porém, sobre como esse valor será dividido.

Para ser contemplado no ‘Pé de Meia’, alguns critérios precisam ser seguidos, a exemplo de fazer a matrícula no início de cada ano letivo; manter frequência escolar de 80% do total de horas letivas (a Lei de Diretrizes e Bases da Educação prevê 75%); ser aprovado ao fim de cada ano letivo; participar dos exames do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e de avaliações aplicadas pelos outros entes federativos, quando houver; participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) quando estiver no último ano do ensino médio público; e participar do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), no caso da modalidade EJA.

Mais matérias
desta edição