app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5656
Política

Com críticas à Lava Jato, Lula inicia nova etapa de obras de refinaria

Presidente visitou ontem a unidade de refino da Petrobras em Ipojuca, litoral de Pernambuco.

Por G1 | Edição do dia 19/01/2024 - Matéria atualizada em 19/01/2024 às 00h03

O Presidente Lula (PT) participou ontem da cerimônia de retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco. Durante discurso, Lula criticou duramente a Lava Jato e disse que a operação foi orquestrada por “alguns juízes e procuradores desse país subordinados ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que não queriam e nunca aceitaram que o Brasil tivesse uma empresa como a Petrobras”.

“Quando eu deixei a Presidência eu tive as contas dos meus oito anos de governo aprovadas por unanimidade no Tribunal de Contas e no Congresso. Somente cinco anos depois começou o processo de denúncia contra a Petrobras. Não era contra a Petrobras, porque se você quisesse de fato apurar corrupção, você apurava. O que não pode punir é a soberania de um país como o Brasil, e da sua empresa mais importante”, declarou.

A refinaria Abreu e Lima foi concebida em 2005, no primeiro governo Lula, com a participação da Venezuela e orçamento inicial de US$ 2,3 bilhões. O empreendimento tem a história marcada por denúncias de superfaturamento e corrupção.

Nove anos depois, em 2014, as obras ainda não tinham acabado e já tinham consumido quase US$ 20 bilhões. Desde então, a refinaria opera parcialmente, com produção diária bem menor do que a programada.

Na operação Lava Jato, a refinaria apareceu na investigação de corrupção de diretores da Petrobras, empreiteiras e de políticos.

Durante o discurso, o presidente disse ainda querer que sejam chamados de volta todos os funcionários demitidos após a paralisação das obras da unidade, em 2015, a logo após o início das investigações da operação Lava Jato.

“Tem que descobrir cada funcionário que foi mandado embora daqui e traga ele de volta. Nosso lema é ninguém solta a mão de ninguém e ninguém deixa o companheiro para trás”, disse Lula, se dirigindo ao presidente da Petrobras, Jean Paul Prattes, presente ao evento.

Nas obras da RNEST, são previstos 17 bilhões de dólares em investimentos até 2028, mais que dobrando a capacidade de refino de petróleo e produção de óleo diesel. O retorno das obras, que estavam paralisadas desde 2015, início das investigações da Operação Lava Jato, fazem parte do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A previsão do governo federal e da Petrobras é de aumentar a capacidade de processamento de barris de petróleo de 100 milhões para 260 milhões.

Mais matérias
desta edição