app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Política

Milei leva alfajor a papa e pede desculpas por insultos

Durante a campanha eleitoral, atual presidente argentino chamou o pontífice de “imbecil”

Por G1 | Edição do dia 13/02/2024 - Matéria atualizada em 13/02/2024 às 04h00

O presidente da Argentina, Javier Milei, manteve ontem um encontro privado com o papa Francisco no Vaticano. No encontro, Milei presenteou o pontífice, seu compatriota, com alfajores e biscoitos argentinos e pediu desculpa por críticas que fez a Francisco.

Durante a campanha eleitoral da Argentina no ano passado, Javier Milei chamou o papa de “imbecil que defende a justiça social”. No entanto, nas últimas semanas o presidente, que tenta reforçar o apoio da sua base católica conservadora, mudou o tom.

Segundo um boletim do Vaticano, Francisco e Milei conversaram por cerca de uma hora. O presidente argentino chegou atrasado ao encontro após parar para cumprimentar um grupo de argentinos.

Eles se reuniram em um momento em que a Argentina enfrenta a pior crise econômica em décadas, com uma inflação superior a 200%. Milei também enfrenta dificuldades no Congresso após a rejeição parlamentar da sua chamada Lei ‘Ómnibus’, que chegou a ser aprovada pela Câmara de Deputados mas foi devolvida a uma comissão e voltou à estaca zero.

O presidente discutiu “o programa do novo governo (argentino) para combater a crise econômica”, entre outros tópicos, durante conversações separadas com o segundo em comando do Vaticano, o secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, disse um comunicado do Vaticano.

Antes da reunião, quando questionado sobre os insultos passados, o chefe do escritório de doutrina do Vaticano disse: “O papa é uma pessoa que tem muito carinho por todos, por isso não há qualquer dúvida de que ele tenha qualquer animosidade”.

O papa considerou os comentários anteriores “como uma estratégia de campanha”, disse aos jornalistas o cardeal Victor Manuel Fernandez, que também é argentino. Mesmo que o papa não goste de “algumas tendências políticas e ideológicas” na Argentina, “ele sempre se preocupará com aqueles que sofrem”, acrescentou.

PRESENTES

Milei levou alfajores de doce de leite e biscoitos de limão de uma marca argentina que o papa gosta na segunda-feira, disse o porta-voz presidencial da Argentina, Manuel Adorni.

No domingo (11), eles conversaram ao final de uma missa de canonização na Basílica de São Pedro para a primeira santa argentina, María Antonia de Paz y Figueroa, uma leiga consagrada do século XVIII, mais conhecida como “Mama Antula”.

Francisco, que tem 87 anos e dificuldade para andar, estava em uma cadeira de rodas quando foi cumprimentar Milei após o culto. Ele sorriu, estendeu a mão e lhe disse: “Você cortou o cabelo!”

Milei, que ainda usa o cabelo longo de forma não convencional para um político, brincou sobre o fato de ter arrumado sua aparência e perguntou se poderia abraçar e beijar o papa. Um Francisco sorridente respondeu: “Sim, filho, sim”.

Milei disse que o o papa é “o argentino mais importante da história”.

Mais matérias
desta edição