app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Rural Agricultores aguardam com expectativa a distribuição das sementes pelo Estado

Seagri garante retomada do Programa de Distribuição de Sementes

Desde 2019 sem operar, programa do Governo de Alagoas é a esperança de milhares de agricultores familiares que aguardam que sementes sejam distribuídas e que doação ocorra dentro da janela de plantio

Por Editoria do Gazeta Rural | Edição do dia 27/02/2021 - Matéria atualizada em 25/02/2021 às 00h48

Agricultores aguardam com expectativa a distribuição das sementes pelo Estado
João Lessa afirmou que programa será repaginado e retomado este ano
Maria Alves acrescentou que sementes precisam chegar no tempo certo para o plantio
Antonino Carvalho destacou que toda política voltada para os agricultores precisa ser bem explorada e articulada com resultados na base

Com a proximidade do período das chuvas em Alagoas, os agricultores já começam a trabalhar a terra para o plantio. Neste cenário, o Programa Estadual de Distribuição de Sementes, promovido pelo Governo do Estado, surge como uma ferramenta capaz de materializar o anseio do homem e mulher do campo, contribuindo para o sustento das famílias rurais.

Após um período de dois anos sem ser executado, o Programa de Distribuição de Sementes deve ser retornado ainda esse ano devidamente reformulado. 

As mudanças, segundo o secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas, João Lessa, acontecerá com o objetivo de conceder mais efetividade e reverter mais resultados para a agricultura de Alagoas.

O programa - que estreou em 2018 com a distribuição de sementes de sorgo, milho, arroz e feijão - retornará de forma mais específica. “É chegada a época de plantio e o programa vai retornar às atividades do Governo de Alagoas seguindo uma linha mais direta às regiões de produção. Será explorado o potencial produtivo, regionalizando a distribuição de acordo com as características de produção”, indicou o secretário Lessa.

Repaginado em diversos critérios e conectado com o aplicativo Argo + Perto, desenvolvido pela Secretaria de Agricultura, o programa passará por estudo para utilizar estratégias que possam chegar mais próximas ao produtor.

“Estamos buscando primeiramente discutir com o setor, com as cooperativas e associações com objetivo de fazermos um programa ainda melhor, que gere resultados. Um formato que chegue mais perto e que ainda leve assistência técnica. Não basta entregar só a semente, levaremos esse trabalho em parceria com a Emater. Sabemos que um real vendido no campo retorna de imediato para a riqueza do Estado”, informou Lessa. 


Agricultores aguardam com expectativa a distribuição das sementes pelo Estado
Agricultores aguardam com expectativa a distribuição das sementes pelo Estado - Foto: Divulgação
 

Unicafes

O retorno do Programa de Distribuição de Sementes é aguardado, com otimismo, pelas instituições da agricultura familiar, a exemplo da Federação da União de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Alagoas (Unicafes/AL ). Segundo o presidente da Federação, Antonino Carvalho, a volta da distribuição vai representar a retomada econômica a agricultura familiar. 

“O setor sentiu bastante a ausência dessa semente, com impactos reais no plantio e nas pequenas safras. Toda política voltada para os agricultores precisa ser bem exploradas e articuladas com os resultados da base”, examinou Carvalho.

A nova fase do programa, que deve voltar ofertando sementes de acordo com potencial das regiões para a produção, retoma a produção com qualidade técnica na agricultura familiar. “Esse direcionamento vai permitir um trabalho mais palpável. Essa é a grande novidade. O fato de poder direcionar a aptidão da região vai tornar essa distribuição mais funcional tanto na rizicultura típica do Baixo São Francisco, na fruticultura ou na cultura do coco”, disse o líder da Unicafes.

Para o pequeno agricultor, participar do Programa de Distribuição de Sementes significa acessar tecnologia de produção, segundo a visão do presidente da Unicafes. 

“Um fomento muito importante visto que antes muitos agricultores improvisavam e não tinham acesso à insumos de resultado, que garantiam produção de qualidade. Não sabiam até se a produção iria vingar. A agricultura ganha por estar trabalhando com sementes e mudas de alta qualidade genética”, ressaltou.

João Lessa afirmou que programa será repaginado e retomado este ano
João Lessa afirmou que programa será repaginado e retomado este ano - Foto: Divulgação
 

Maria Alves acrescentou que sementes precisam chegar no tempo certo para o plantio
Maria Alves acrescentou que sementes precisam chegar no tempo certo para o plantio - Foto: Divulgação
 


Espera

No campo, a chegada das sementes é aguarda com muita expectativa por parte dos agricultores familiares que desde 2019 sofrem com uma longa espera sem receber o produto distribuído pelo Governo do Estado.

“Apesar desse histórico, a nossa expectativa é positiva. Afinal, a distribuição destas sementes é uma forma de ajudar as cooperativas e os agricultores familiares que não receberam as sementes nos últimos anos”, declarou Maria José Alvas, presidente da Cooperal.

De acordo com a dirigente, cuja cooperativa atua na região do agreste alagoano, a não distribuição das sementes de feijão, milho, sorgo fez falta aos agricultores. “Quando a gente recebe estas sementes, os custos já ficam menores. Afinal, a semente não precisa ser comprada e isso já é uma ajuda as famílias no campo”, destacou.


Antonino Carvalho destacou que toda política voltada para os agricultores precisa ser bem explorada e articulada com resultados na base
Antonino Carvalho destacou que toda política voltada para os agricultores precisa ser bem explorada e articulada com resultados na base - Foto: Divulgação
 

Maria Alves destaca ainda que, além de receber as sementes, é preciso que elas cheguem dentro do prazo para o plantio no campo. 

“Temos uma expectativa de regularidade de chuvas neste inverno. Quando a chuva chegar, é preciso não apenas que o solo esteja preparado, mas que as sementes também estejam disponíveis para o plantio. Por isso, elas têm que ser distribuídas dentro do prazo”, declarou.

Mais matérias
desta edição